quarta-feira, 18 de abril de 2007

AGENDA POSITIVA NA CONSTRUÇÃO DO FURTURO

Neste mês de maio de 2006 tivemos uma agenda positiva e ampla na região. Iniciou com a festa de resgate da migração alemã, fato histórico que tomamos como marco de comemorações para o território. Com ampla participação da comunidade na abertura, desfile cívico e atividades artísticas culturais valorizando os grupos da região. Constatamos nos grupos musicais e culturais um forte potencial artístico e integrador que esperamos potenciais com espaços que a Subprefeitura está buscando viabilizar com a Secretaria da Educação e gestão central, tais como a concretização do C.E.U. de Parelheiros e a transformação do Auditório do CIEJA, na Varginha, em uma mini sala de eventos culturais (projeções e teatro).
No centro, está praticamente na fase final de ordem de serviços, o Parque Linear que será construído pela SPTrans como fruto de compensação pelo espaço do terminal e corredor Rio Bonito. Este Parque Linear, com áreas de lazer e paisagismo será junto ao C.E.U. se constituirá em um conjunto cívico de enorme valor para esta área de Parelheiros com maior densidade demográfica. Terá fácil acesso desde Colônia pelo passeio e ciclovia. Certamente vamos demandar reciprocidade dos moradores dos arredores para melhorar as calçadas, fazer ligações de esgoto, pintar as fachadas das casas e cuidar da limpeza para melhorar nosso potencial turístico e de visitação. O mesmo acontecerá com o Centro Multifuncional que dará outra dinâmica e visual no espaço da Feira dos Domingos no Centro.

No campo da economia, também temos novidades. No terminal Varginha, vocês já viram, atrás dos bombeiros esta o Atacadão. Será inaugurado antes de terminar junho, o Atacadão, gera quase 300 postos diretos de trabalho, 65% selecionados dentre os moradores da região. Nesta semana as duas concessionárias do lote 4 do RODOANEL estiveram discutindo a implantação do seu canteiro de obra, vai gerar ao longo de 4 anos mais de 1.000 postos de trabalho direto, certamente este processo contemplará moradores da região habilitados e que tenham compromisso com a manutenção das condições adequadas para o desenvolvimento local. Todo este desenvolvimento vai significar também mais formalidade, aplicação das normas legais, uso adequado do solo e maior fiscalização para evitar construções irregulares, mas claro, embora com coerência e firmeza, tudo com diálogo, informações à comunidade.

Um poder público presente se expressou nas ações da Subprefeitura Itinerante, foi uma experiência positiva na semana das comemorações do aniversário deste 2006. Tivemos praticamente todos os serviços da Subprefeitura instalados por um dia em Marsilac, Embura, Barragem, Colônia, Varginha e Herplin, a pesquisa local mostrou que o povo aprovou. Estiveram presentes, o Centro de Cidadania da Mulher, a Assistência Social, o setor de Obras, Planejamento e ampla distribuição de informações pela comunicação. Foram cerca de 1.200 freqüências. Saúde foi muito demandado, as crianças receberam orientação de higiene bucal, os idosos tomaram vacina, todos a antitetânica, teste de diabete, DST/AIDS, pressão, etc. Os servidores estão de parabéns.

Culminou esta agenda positiva como a visita do prefeito Gilberto Kassab à região. O Prefeito passou praticamente toda a manhã vistoriando obras, manifestou satisfação e a necessidade de preservar a região com seu patrimônio Ambiental. Iniciou a visita bastante informal no Posto de Atendimento ao Turista, saudando, empresários, populares, estiveram presentes os vereadores Estima, Goulart, Mário Dias, Milton Leite, Gilberto Natalini e o deputado Flávio.
O Prefeito esteve também no Centro Desportivo Comunitário do Herplin entregando simbolicamente um Kit de Rua de Lazer, seguiu para o Recanto Campo Belo inaugurando o primeiro Centro Odontológico de Especialidades (COE). Logo após se dirigiu à Embura, onde fez a entrega oficial da renovada Praça do Embura, concluindo a visita as 12h30 com o cafezinho no Bazar das Marisa e entrevista à imprensa.
UMA AGENDA COMUM É BASE DA SUSTENTABILIDADE REGIONAL

Walter Tesch (*)

Quem acompanha nossas posições públicas escritas e nos debates com a comunidade e as ações da política pública local constata um elevado grau de coerência com os objetivos estratégicos de sustentabilidade e autonomia econômica regional no contexto da metrópole. Isto sem excluir a manutenção da região, embora tenhamos escassos recursos. Olhar com óculos de oposição, do contra ou do “quanto pior melhor” não oculta o fato de Parelheiros ter ingressado irreversivelmente na agenda da gestão municipal e estadual com a “operação defesa das águas”.

Temos constatado junto a políticos comprometidos com a região e de diversas tendências, junto a moradores, dos mais humildes aos mais abastados, que é necessário organizar e exigir o funcionamento com regras para melhorar a convivência, sem privilégios. A recente divulgação da diminuição dos índices de homicídio entre os jovens é um sinal positivo. A turma “do quanto pior melhor” perde espaço na medida em que avança a cidadania e a participação efetiva e não de prepostos.

Em recente reunião com empreendedores de Vargem Grande, fui informado que o Subprefeito é uma espécie de “bicho papão”. A inexistência de cidadania ativa, a distorção da desinformação e a “fabrica de boatos” que permite “vampirizar” o povo, explorando-o e mantendo na ignorância o que beneficia poucos. Nesta mesma reunião foi afirmada como positiva a ação da Subprefeitura pois obrigou aos empreendedores e a comunidade se organizarem para buscar soluções comuns. É isto que nós queremos, é o que se denomina aumento do “capital social”. Todos têm consciência que o bairro foi implantado clandestinamente, por primeira vez uma gestão toma a iniciativa para que o poder público aponte um caminho possível da legalidade.

Temos consciência que o poder público faz sua parte. O Estado deve dar solução para o Presídio, instalou água, agora investe mais de 10 milhões na rede de esgoto, mais de 40 milhões na rede de água. A SPTRANS como compensação faz o Parque Linear do Centro. O CEU custará quase 24 milhões (equivalente a 2 anos do orçamento da Subprefeitura), este CEU agrega valor a região que tem uma Cratera, trazendo um Planetário motivando gerações, criando trabalho e será um instrumento de fortalecimento da sociedade local. Este pacto por uma agenda local de sustentabilidade e convivência coletiva implica o cumprimento da responsabilidade individual, do comércio, das coletividades organizadas, da educação, etc. Nenhum argumento paternalista de situação “carente” justifica jogar lixo na rua, invadir área pública ou privada, construir sem licença, jogar esgoto no córrego ou rua, invadir o espaço público. As guerras e crises sociais obrigaram os povos a criar normas comuns, buscar formas de sobrevivência e convivência coletiva.

(*)Subprefeito de Parelheiros, maio de 2007

Um comentário:

disse...

Cadê? Seu último post é de 2006?